1 de outubro de 2018

O "movimento feminista" tornou-se FEMISTA!

O "movimento feminista", sob uma ótica global, está muito mais pra FEMISTA (de fêmea) do que algo direcionado a direito e igualdade de gêneros, que viria a ser o feminismo propriamente dito.

Desde seu ápice com as sufragistas da Inglaterra em 1913, lideradas por Emmeline Parkhust, mostra-se extremo, incoerente e ineficiente.

A história sempre narrada sob ideologia esquerdista por uma imprensa nada imparcial tende a dizer que as ações radicais e  terroristas de Emmeline e aliadas, precursoras do suicídio, auto-multilação e explosão de bombas, foi estopim social para que o parlamento inglês publicasse, em 6 de fevereiro de 1918, autorização para o voto parcial de mulheres (poderiam votar aquelas com mais de 30 anos).

Uma análise minuciosa dos fatos mostra que a adoção da lei de 1918, na verdade, deu-se pelo papel desempenhado pelas mulheres durante a primeira guerra mundial. Com os homens partindo para o front, senhoritas e senhoras assumiram funções consideradas até então estritamente másculas nos campos, indústrias, escritórios e comércios. O papel da mulher na sociedade foi profundamente transformado!

Eu escrevi outro dia e repito: a maioria dos homens não escolhe ser machista, eles apenas seguem uma tendência social imposta. Assim que percebem o equívoco que cometeram, corrigem a rota.

O exemplo do século passado mostra que o papel das mulheres nesta fatídica realidade que é a desigualdade de funções, salários e posições hierárquicas entre sexos, não tem nada a ver com despir-se na rua, optar por não depilar as axilas ou urinar nas calçadas. Não tem nada a ver, inclusive, com gritar ele não por que tem alguém do mesmo sexo gritando!

A luta por conquista de direitos e igualdade pode e deve passar por princípios de família, amor, patriotismo e determinação! #VocêsSim #ElasSim #Paz ❤